h1

sobre atitudes impetuosas…

Fevereiro 21, 2011

Tenho só as vezes, quando não refletirem demais meus sentimentos, principalmente. Sou fraco quanto a isso eu sei, sou inseguro em excesso, não consigo tomar iniciativas bruscas para conversar, gosto mais de escrever, gosto mais de ser lido do que ouvido, sou melhor quando não sou cortado, sou melhor quando posso refletir antes.

E eu entendo minhas atitudes, entendo que possam soar como descaso, mas não são, sou assim, não sei amar abertamente, não sei gritar aos sete ventos o que sinto, sei colocar aqui, escrever, o que sinto é aberto aos meus olhos, as minhas respostas silenciosas de afeto, e talvez eu deva ser lido melhor. Ou realmente o problema sou eu, minha insegurança, minha falta de ímpeto para questões amorosas, minha inexperiência.

Quem lê esse blog talvez nem pense que eu tenha tanta inexperiência, ou talvez lendo todos os textos vai perceber melhor ainda que são todas frustradas, mal acabadas, mal começadas e que hoje talvez eu viva sim o mais próximo de algo concreto, só não estou sabendo ainda como começar a construção toda. E pediram para que eu tome atitudes, mas a única que consigo pensar é a de me entregar com palavras… E talvez eu deva deixar claro nessas palavras o quão importante é para mim, talvez eu seja perdido, talvez esteja perdido, sei que vou realmente tomar uma atitude, a vou.

h1

sobre as lágrimas…

Janeiro 22, 2011

E eu nunca havia chorado por amor, nunca havia chorado por coisas que giram dentro de mim, nunca havia chorado por pensamentos que não somem, nunca chorei por sensações aéreas, nunca havia chorado por sentir algo que não deveria sentir, ou deveria? Será que é chegada a hora de amadurecer? De começar a aceitar mais facilmente os fracassos? De aceitar que não deu certo? De parar de lutar? Aliás, luto? Não sei.

Sei que ontem, nem mesmo eu me reconheci, sabia exatamente por que chorava, não sabia por que você estava parado na minha frente, não entendia por que eu não podia te abraçar e parar de chorar, não sabia por que você estava tão longe e tão próximo ao mesmo tempo. Isso não é para ser compartilhado? Então por que é tão difícil fazer de você o que você faz de mim? E se ficar aqui fazendo zilhões de perguntas sem respostas, perguntas que são respondidas por outras perguntas? Chegarei onde?

Não onde eu quero, por que talvez não seja recíproco, não seja a hora, talvez a única resposta: é hora de você encontrar o seu interior, Bruno, é hora de aceitar que você não é tão forte quanto imaginava, é hora de saber que é humano, que vai fracassar, que vai desapontar, que vai ser desapontado, é hora de saber que os sentimentos existem de fato, que a gente não escolhe.

Mas é tão mais simples ser forte, é tão mais simples não se apegar, é tão mais simples sofrer sozinho, por que essas tempestades de sentimentos assolam tanto? Por que nos fazem explodir? Alcoól? Verdades? Fraquezas? Não vou ficar escrevendo a eternidade que meus sentimentos são, a confusão.

h1

sobre o que assola…

Janeiro 10, 2011

E o tempo diz mesmo e é claro como o sol, o tempo soluciona questões, dúvidas inebriantes, melhor do que dúvidas, são as certezas que só o tempo traz. Sabe aquela paixão que chega com todas as forças e te leva todas as forças? Então, é dessa que o tempo cuida, ou ele transforma em algo maior ainda, ou vai arrancando aos poucos, enquanto isso, traz respostas.

Melhor do que viver na dúvida é morrer na certeza, e não estou aqui para falar de algo acabado, de algo que deu certo, pelo contrário, estou aqui para deixar o meu desapontamento – com quem? Esse é o problema, quem erra mais? Meus sentimentos que vem e vão ou minhas certezas esmagadoras e inadmicíveis para minhas próprias paixões? Então enfrentei todos os meus preconceitos contra assumir o que se passa no meu coração por alguém, chorei, olhei nos olhos, disse palavras que ficavam engasgadas, mas que precisavam ser ditas, e adiantou? Nada. Amor não vem em conjunto, não sempre, só as vezes, não se cria o amor no próximo, não se cria amor! Ou se cria? Me ensine a receita para fazer alguém se apaixonar por mim, me ensine a receita para me fazer apaixonar pela pessoa certa e ai eu passo adiante.

E estou aqui, falando, falando, escrevendo e escrevendo, e ao mesmo tempo não estou falando/escrevendo nada, é que não tenho o que falar, o que tenho é vontade de sair gritando as dúvidas que me assolam, as incertezas que o tempo não traz respostas, a falta que sinto de você, o vazio cheio de certeza, o alívio de poupar um sofrimento que poderia ser maior depois, o desespero por ter tido mais um #fail, o maior desespero ainda por um dia ter tido tanta certeza de que era você. Mas sai dessa com um sorriso, pois, mais uma vez eu me reconheci, me encontrei com meus limites, me poupei de maiores dores, não que sejam mais significantes.

No fundo queria mesmo era ouvir você rindo novamente, apertar sua mão bem forte, olhar para o lado e encontrar seus olhos. Mas pelo visto não será agora, talvez seja um dia ou outro, ninguém escolhe.

h1

e o ano se foi..

Dezembro 9, 2010

E novembro eu não postei absolutamente, talvez seja pela minha falta de vida afetiva, que afetou o décimo primeiro mês de 2010, acho que era um respiro par ao futuro, para o que chegou! Não que eu seja muito rotativo quanto a meus sentimentos, mas é que hoje e não digo hoje de hoje literamente, digo hoje de aos vinte e dois anos, agora crescido, mas sempre em transformação, enfim, talvez hoje me sinta pronto para canalizar minhas energias para algo que não vivi antes.

Eis que na segunda semana de novembro, precisamente no segundo domingo do mês fui contemplado com alguém especial, e esses dias estão passando e isso só está aumentando, aumenta minha admiração, minha confiança, e o desejo pela companhia. Isso seria uma declaração de amor, caso eu soubesse se o que sinto realmente é amor, mas como já disse várias vezes, amor a gente não sabe que sente, amor a gente nem sabe o que é ainda. Você sabe?

Sei que quero passar o revéillon tendo alguém para dizer Feliz Ano Novo, sei que quero passar o revéillon contigo por perto, por enquanto é isso o que sinto, vontade de estar por perto, vontade de ver você sorrir, essa é a certeza que eu tenho agora, o depois nem eu sei o que virá, a gente nunca sabe, deixa o tempo dizer.

h1

e quando o amor acaba..

Outubro 8, 2010

… pior ainda é quando o amor próprio acaba, esse deveria ser infinito. É triste, mas acontece. E pior ainda é quando acontece por perto, com amigos seus, e você não tem o que fazer, um se lamenta por não amar mais, o outro cego, ainda acredita que o amor corre em suas veias e não enxerga que tudo terminou, pelo menos da outra parte.

As pessoas deveriam fazer uma escala do que vem primeiro, eu ou você? No meu caso sempre sou eu. E por isso mantenho firme a fama de frio, de que não amo ninguém. Mas quem importa mesmo sabe que não é assim, amo, com cuidado, amo primeiro a mim, depois amarei a pessoa certa, não em vão, mas com razão.

Sou daqueles que coloca tudo na balança e não me acho errado em fazer isso, pensar no futuro, pensar no presente não é feio, não é avareza, não é interesse, é interesse sim pelo que pode ser de mim lá na frente, agora já sei o que sou. Então é o seguinte, antes de amar alguém, de entregar todas as suas fichas a ela pense nas fichas que você tem em mãos, e de quem tem, para tudo existe limite, até para o amor, esse sim tem mais limites ainda.

 

h1

para os que moram no arco-íris…

Setembro 11, 2010

Noite passada tive um pesadelo, sonhei que fui cumprimentar duas amigas e a irmã de uma delas, no entanto, no momento em que fui cumprimentar a irmã ela se afastou e disse: “não quero tocar em você, não toco em pessoas como você”. Ela estava se referindo a minha orientação sexual, o fato de ter nascido homossexual e não a escolha que fiz quando descobri sobre sentimentos, o que ela chama de nojento eu chamo de AMOR.

Ai comecei a refletir e senti pena das pessoas que ainda vivem sobre o preconceito, que ainda não libertaram a cabeça para tudo o que as cores significam, ser gay é ser feliz. Ser gay é ser resultado de uma luta de sentimentos durante anos, é o resultado positivo hoje em dia de que somos pessoas que venceram, ou melhor, que carregam a bandeira de antepassados que lutaram mais do que lutamos hoje. Lutamos? Não luto por uma causa homossexual, eu vivo uma causa homossexual, me defendo, defendo os mesmos e tenho orgulho daqueles gayzinhos estraladinhos que levam o brilho em todo lugar que passam, eles rancam sorrisos das pessoas, que talvez enchergam como chacota, mas não no fundo é simpatia. Não sou do tipo que anda com borboletas ao redor, mas sou do tipo que ama apreciar as borboletas.

E já reparou que nossa bandeira é um arco-íris? As cores são para lembrar as pessoas que somos diferentes mas que temos finalidades iguais, servimos para distribuir variedades nesse mundo onde ser igual já é passado, servimos para alegrar os tons, servimos para mostrar esperança para um mundo onde esperança é raridade. Ser gay é carregar dentro da alma as diferenças, carregá-las, escondendo-as ou não é uma escolha. No fundo essas diferenças que nos fazem iguais, irmãos. E ser ignorante é viver no passado, é não olhar para o próprio “rabo” ignorar seus princípios e vistoriar se estão corretos, já andou ao redor de sua vida para analisar cada passo que deu antes de analisar a dos gays? Quem cometeu mais pecados, quem tem menos caráter? Quem esconde mais segredos do passado? Sair do armário é olhar para o futuro e admitir que um dia tentou ser igual, mas que ser diferente é melhor ainda.

Não é atoa que a tradução literária de gay é ALEGRE.

h1

sobre amor não correspondido…

Agosto 21, 2010

Já passou por isso? Amor é o sentimento mais profundo, confuso e misterioso que existe, primeiro, você não controla quem vai amar e quem não vai, segundo, as vezes você é único que não sabe que está amando, terceiro, as vezes ele não é correspondido, um amor sem amor. 😦 E ai é triste de qualquer forma, mesmo que não seja você o não correspondido, PIOR AINDA!

Pior quando é você que não ama o suficiente e não consegue encontrar motivos para essa resposta, está com a pessoa certa ao seu lado, é amado 300% com certeza, é adorado, glorificado. Talvez toda essa admiração fácil e de controle total faça com que seja também sem graça, ai não adianta, o amor não acontece, não acontece admiração. Você admira aquilo que lutou para conseguir, como um prêmio em sua estante, que vai lustrar, brilhar e tirar o pó para que ele nunca seja esquecido. Amor deve ser construído em conjunto, deve ser dividido desde o princípio. Tenho um amigo que diz: mas sempre em relacionamentos a o que ama mais. Não dá, assim não é amor, não pode ser assim.

O amor é como uma garrafa de vinho tampada por uma rolha, você vira, desvira, agita e o vinho continua dentro da garrafa por que está coberto com segurança, se a rolha cair, vira bagunça, fica todo ensopado e o vinho toma conta da garrafa, como o respeito que não pode sair pelos lados, tem que ficar dentro da garrafa.

Da para falar de amor comparando com qualquer coisa, como disse no começo é puro mistério, quem faz o seu acontecer são suas permissões. Até onde ir? Até onde chegar é a sua meta.